Infarto

Infarto: sintomas, causas e tratamentos

Dor no peito e formigamento são os sintomas mais conhecidos do infarto do miocárdio, que acomete anualmente mais de 150 mil pessoas no país.

O problema pode acontecer a qualquer momento, seja no trabalho, praticando exercícios ou mesmo descansando, por isso é considerado uma emergência médica.

Ocorre quando um trombo ou coágulo bloqueia o fluxo sanguíneo para o coração. Sem sangue, o tecido perde oxigênio e morre.

As doenças relacionadas a problemas no coração lideram os casos de morte no mundo, sendo responsáveis por quase 30% dos óbitos no país. Entre elas, o infarto é uma das principais causas.

Sintomas

Os sintomas incluem também sensação de aperto ou dor no pescoço, nas costas ou nos braços, além de fadiga, tontura, batimento cardíaco anormal e ansiedade.

A dor desse problema pode se apresentar de duas formas: típica ou atípica. A dor típica tem como características ser no meio do peito, em aperto, espalhando para o braço esquerdo, acompanhada de suor, náusea e palidez.

Já a dor atípica pode ser mais difícil de caracterizar. Geralmente, pode se alojar em qualquer local entre o lábio inferior e a cicatriz umbilical. Mulheres são as que mais apresentam este tipo de dor, com queixas de queimação ou agulhadas no peito ou ainda falta de ar, sem dor.

Causas do infarto

Ocorre quando uma ou mais artérias que levam oxigênio ao coração são obstruídas abruptamente por um trombo de sangue formado em cima de uma placa de gordura existente na parede interna da artéria.

Homens acima dos 45 anos e mulheres com 55 anos ou mais têm maior propensão a este problema cardíaco. O risco aumenta quando eles são hipertensos, apresentam colesterol elevado e diabetes, tem histórico familiar de ataque cardíaco, fumam, bebem ou fazem uso de drogas ilegais estimulantes, como cocaína, ou ainda são sedentários e obesos.

Tratamentos

Para o tratamento é feita a utilização de medicamentos e, em alguns casos, pode ser necessário a intervenção cirúrgica.

Os medicamentos utilizados vão impedir a formação de trombos no sangue e melhorar a circulação, como é o caso do ácido acetil salicílico  (Aspirina).

Há a possibilidade de se realizar também o cateterismo, quando o tratamento com medicamentos não se mostra eficiente para restabelecer a circulação sanguínea. Nesse procedimento, um cateter é inserido em uma artéria, pode ser da virilha ou do braço, e percorre o corpo até o vaso sanguíneo onde se encontra a obstrução.

Os procedimentos cirúrgicos são indicados para os casos mais graves. Normalmente, após 3 a 7 dias do episódio, é realizada então a cirurgia de ponte de safena e mamária.

Com tratamento adequado, é possível evitar danos significativos no músculo cardíaco, o que é fundamental para que o paciente que passou pelo infarto viva bem durante muitos anos. Por isso, também são indicadas mudanças no estilo de vida, que incluem uma dieta saudável, atividades física, parar de fumar e de consumir bebidas alcoólicas.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista esportivo em São Paulo.

 

 

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.