dislipidemia

O que é dislipidemia?

A dislipidemia está relacionada ao aumento anormal de gordura nos vasos sanguíneos, especialmente nos níveis de colesterol e triglicerídeos. É uma doença muito comum, com mais de 2 milhões de casos por ano diagnosticados no país.

Também conhecida como hiperlipidemia ou hiperlipoproteinemia, ela aumenta a chance de entupimento das artérias, chamado de aterosclerose, e de ataques cardíacos, acidente vascular cerebral e outros problemas circulatórios.

O risco de aparecimento é maior em homens com 45 anos ou mais e mulheres acima dos 55 anos, fumantes, diabéticos, com hipertensão arterial, colesterol HDL (colesterol bom) baixo e histórico do problema na família.

Em adultos, geralmente a condição está relacionado também à obesidade, alimentação inadequada e falta de exercícios.

Causas

As dislipidemias apresentam duas principais causas:

  •     Primárias: são de origem genética, mas podem ser desencadeadas por fatores relacionados aos hábitos de vida, como por exemplo, sedentarismo e os hábitos alimentares.
  •     Secundárias: pode ter origem a partir de outras doenças, como diabetes mellitus, obesidade, hipotireoidismo, insuficiência renal, doenças das vias biliares, anorexia nervosa e bulimia, associado ao uso de medicamentos, como diuréticos em elevadas doses, entre outros.

Sintomas

A dislipidemia é uma condição silenciosa e, geralmente, não apresenta sintomas. A doença muitas vezes é identificada somente quando os problemas cardíacos aparecem. Por isso, é muito importante realizar periodicamente exames para medir dos níveis de colesterol total, colesterol LDL (ruim), colesterol HDL (bom) e triglicerídeos.

Porém, em ocasiões em que os níveis de gordura estão extremamente altos, os sintomas podem aparecer: a gordura se deposita na pele e nos tendões e forma nódulos, denominados xantomas. Em certos casos, as pessoas desenvolvem anéis brancos ou cinza opacos na borda da córnea.

Níveis de triglicerídeos elevados podem fazer com que o fígado ou o baço aumentem, além de provocar sensação de formigamento ou queimação nas mãos e pés, dificuldade para respirar e confusão e podem ainda aumentar o risco de desenvolvimento de pancreatite.

Tratamento para dislipidemia

Normalmente, o tratamento mais indicado é a perda de peso, aliada a exercícios físicos, redução das gorduras saturadas na dieta, e ingestão de medicamentos hipolipemiantes, como Atorvastatina e Rosuvastatina. Isso contribui para diminuir o nível de colesterol ruim (LDL) e triglicerídeos e a aumentar o nível de colesterol bom (HDL).

Prevenção

Apesar de fatores genéticos estarem entre as causas do aumento das taxas do colesterol ruim (LDL), uma alimentação balanceada e saudável é a forma mais eficiente de prevenir o problema, acompanhada também de outros hábitos saudáveis.

Para isso, é recomendado reduzir o consumo de carnes vermelhas e dar preferência para carnes brancas, como aves e peixes, sendo este último rico em ômega 3; aumentar o consumo de cereais integrais, vegetais, fruta e fibras solúveis; evitar fritura e pratos prontos congelados ou ultraprocessados.

Não fumar e evitar a ingestão de bebidas alcoólicas também são bons hábitos para evitar o desenvolvimento da dislipidemia.

Quer saber mais? Estou à disposição para solucionar qualquer dúvida que você possa ter, e ficarei muito feliz em responder aos seus comentários sobre este assunto. Leia outros artigos e conheça mais do meu trabalho como cardiologista esportivo em São Paulo.

Comentários

O que deseja encontrar?

Compartilhe

© Desenvolvido com pelo iMedicina. Todos os direitos reservados.